Montar um negócio em três passos


Identificou uma oportunidade no mercado e decidiu que quer avançar e abrir o seu próprio negócio, no entanto não sabe por onde começar nem que custos terá? Neste artigo, preparado pelo ComparaJá.pt, fique a saber como poderá começar a sua empresa de uma forma simples, bem como qual a documentação que vai precisar de reunir e os custos associados.
Depois de ter o produto ou serviço e o seu respetivo ramo de atividade definidos, o modelo de negócio delineado e a pesquisa de mercado feita, só resta registar a organização.
Passo 1: Registo da Empresa
Pode registar a sua empresa no site Empresa na Hora, por exemplo, uma iniciativa do Estado português para facilitar o processo de constituição de um negócio. Também poderá fazê-lo presencialmente num dos 214 balcões do Empresa na Hora espalhados por Portugal Continental e Ilhas.
Como o próprio nome indica, permite-lhe fazer o registo da empresa em menos de uma hora, seja de que tipo for: sociedade unipessoal por quotas, sociedade por quotas ou sociedade anónima.
O cliente poderá escolher o nome da empresa de entre a lista de designações pré-aprovadas, que a Empresa na Hora disponibiliza, ou pode pedir uma aprovação prévia ao Instituto dos Registos e Notariado.
Além disso deverá, se ainda não o fez, depositar o capital social numa conta aberta, da qual a empresa seja titular, ou terá até cinco dias úteis após a constituição da empresa para o fazer. Tem a possibilidade, ainda, de entregar esse montante nos cofres da sociedade até ao final do primeiro exercício económico (ou seja, o ano fiscal).
Ao balcão da Empresa na Hora é elaborado o pacto da sociedade, bem como é efetuado o registo comercial da mesma. Os sócios da empresa receberão, no momento, os seguintes documentos:
• Pacto Social;
• Código de acesso à Certidão Permanente de Registo Comercial, com um prazo de três meses;
• Código de acesso ao cartão eletrónico da empresa (o cartão físico é enviado por correio, após a entrega da declaração de início de atividade);
• Número de Segurança Social da firma.
O serviço de registo da Empresa na Hora custa 360 euros que deverão ser pagos no momento em numerário, via multibanco, cheque visado ou vale postal emitido à ordem do Instituto dos Registos e Notariado.
Contudo, se pretende dar entrada de bens ou participações sociais sujeitas a registo, serão adicionadas, ao custo mencionado acima, as taxas a cobrar por cada bem até ao limite de 30 mil euros. Por cada bem imóvel, quota ou participação social, terá de pagar 50 euros e por cada bem móvel 30 euros ou 20 euros para o caso de se tratar de um ciclomotor ou motociclo, ou de um triciclo ou quadriciclo com cilindrada até 50 cm3.
No balcão do serviço Empresa na Hora é ainda possível realizar o pagamento do IMT e de outros impostos que sejam necessários devido à natureza dos negócios. Estes impostos têm de ser liquidados antes da constituição efetiva da empresa.
Com a constituição de um negócio na Empresa na Hora, os sócios ficam com acesso gratuito, durante um ano, a um site com domínio “.pt”. Além do domínio, recebem também ferramentas de desenvolvimento do site e caixa de correio eletrónico.
Passo 2: Documentos Necessários
Seja de que caráter for a empresa, caso os sócios da sociedade sejam pessoas singulares, esta é a documentação que deverão apresentar no momento da constituição da empresa:
• Documento de identificação (Cartão de Cidadão, Bilhete de Identidade, Passaporte ou Autorização de Residência para estrangeiros);
• Cartão de Contribuinte (caso o NIF não conste do documento de identificação);
• Cartão de beneficiário da Segurança Social (sendo este um documento facultativo).
Contudo, se se tratar de uma empresa com mais do que um sócio, é necessário que todos estejam presentes no momento de constituição da empresa. Caso contrário, o sócio em falta deve fazer-se representar por terceiros através de uma Procuração.
Caso se trate de uma pessoa coletiva, os documentos requeridos na Empresa na Hora são:
• Cartão da empresa ou de pessoa coletiva ou o código de acesso aos cartões referidos;
• Ata da Assembleia Geral que declara poderes para a constituição da sociedade em questão.
Passo 3: Contratação de Serviços e Colaboradores
Esta é uma etapa decisiva para o sucesso do negócio e o seu futuro, pois todas as decisões tomadas neste âmbito terão um grande impacto no funcionamento da empresa. Desde contratar os serviços necessários, até à seleção dos colaboradores da empresa, dos melhores fornecedores e parque informático, tudo terá de ser definido com muita ponderação.
Outros Custos Decorrentes do Início da Atividade
Outros valores que terá de ter em conta após o início da atividade poderão ser os seguintes:
• IRC (21%);
• Derrama municipal (pode chegar aos 1,5%) e estadual de 3%, 5% ou 9% (consoante o lucro tributável);
• IVA à taxa de 23%, 13% ou 6% (conforme o tipo de bens/ serviços);
• Taxa paga sobre o valor dos salários dos colaboradores.
A partir do momento em que a atividade é iniciada, verá que virão ao de cima custos necessários ao desempenho da mesma, como é o caso da contabilidade da empresa. Assim, será necessário contratar uma empresa e, por sua vez, um técnico oficial de contas (TOC), que deverá ser indicado no momento da constituição da sociedade ou nos 15 dias seguintes.
Seguros, eletricidade, água e gás, assim como comunicações e empréstimos bancários são mais algumas das despesas com as quais poderá ter de se deparar após o estabelecimento da marca.
Não poderá esquecer estes custos se quer fazer crescer o seu negócio de forma sustentável. Não deverão, contudo, ser motivo de desânimo, afinal, esta pode ser a primeira etapa para se tornar financeiramente independente.

Artigo submetido ao abrigo do protocolo entre a comparaJá.pt e a FNABA

Post comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© Copyright FNABA - Federação Nacional de Associações de Business Angels 2007-2015 - Todos os direitos reservados